Em defesa da UNILA - Universidade da Integração Latino-Americana #UNILAfica



#UNILAfica

H2FOZ 
NOTA PÚBLICA EM DEFESA DA UNILA

A reitoria da UNILA (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) emitiu nota em que posiciona-se contra a proposta que pretende transformar a instituição em UFOPR (Universidade Federal do Oeste do Paraná). A mudança é defendida pelo deputado federal Sérgio Souza (PMDB/PR), por meio de emenda aditiva à Medida Provisória nº 785/2017.

No comunicado público, os gestores da UNILA posicionam-se contra as mudanças no papel institucional da universidade. “A equipe da Reitoria posiciona-se enfaticamente pela supressão da referida emenda aditiva e está tomando as providências necessárias para garantir a manutenção da lei de criação da UNILA em sua integridade e em defesa de sua identidade”, expõe a nota.
Os dirigentes da Universidade da Integração Latino-Americana ressaltam, também, que a proposta do deputado Sérgio de Souza surgiu durante tramitação de normativa que tratatou de outro tema da área educacional. “A emenda [ ] foi apresentada no processo de aprovação legislativa de medida provisória que trata de outro assunto (financiamento estudantil)”, esclarece a reitoria da UNILA.

O deputado de Curitiba propõe a conversão da UNILA e de seu projeto original, que concebe uma universidade voltada para a integração entre os países da América Latina, em uma instituição de ensino superior de características regionais. A emenda legislatvia de Sérgio Souza inclui consulta aos campi de Toledo e de Palotina da Universidade Federal do Paraná sobre o interesse em integrar a UFOPR.

Justificativa
O peemedebista Sérgio Souza justifica seu projeto citando a expansão econômica do Oeste do Paraná, principalmente de cooperativas, indústrias e do turismo. O parlamentar destaca o baixo IDH de alguns municípios da região e defende que recentemente ocorreu redução da população de jovens entre 18 e 24 anos na região, decorrente da busca por educação e emprego.
“Assim, novos cursos de graduação – concatenados com as características econômicas e sociais da região – certamente despertarão não só o interesse da sociedade mas também promoverá o desenvolvimento social e distribuição de renda nas regiões Oeste e Noroeste do Estado do Paraná, como também das regiões sul do Estado do Mato Grosso do Sul e leste do Paraguai”, defende o deputado.

Histórico
A UNILA foi criada pela Lei nº 12.189, de janeiro de 2010, para atuar nas regiões de fronteira, fomentando o intercâmbio e a cooperação entre os países do Mercosul (Mercado Comum do Sul) e da América Latina. Seu objetivo é oferecer ensino superior público e gratuito, produzir pesquisa e extensão universitária voltados para o desenvolvimento, o intercâmbio cultural, científico e educacional entre os povos e nações.
Os números do início de 2017, quando a universidade completou 7 anos, mostram que instituição mantinha 2.722 alunos matriculados, 29 cursos de graduação, 8 oito mestrados e 1 doutorado. Além de brasileiros, a comunidade acadêmica da UNILA é formada por estudantes e professores de 16 países da América do Sul, Central e do Caribe, diversidade que contribui para o fortalecimento do papel integrador.

Comunidade reage à proposta
Assim que foram difundidas as informações sobre a proposta do deputado Sérgio Souza, a comunidade acadêmica da UNILA e representantes de organizações sociais de Foz do Iguaçu lançaram o "Movimento em Defesa da UNILA". A primeira iniciativa é uma petição pública endereçada ao Congresso Nacional pela supressão da Emenda Aditiva à Medida Provisória nº 785/2017. 
"Nosso movimento tem o objetivo de defender a manutenção da Lei de Criação da UNILA, sua identidade original e sua missão, que é formar sujeitos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina", diz a apresentação do abaixo-assinado virtual. Qualquer pessoa pode apoiar a petição, que pode ser acessada clicando aqui.  

Assembleia dos estudantes
Preocupados com os desdobramentos da proposta de mudança na UNILA, os estudantes realizam nesta sexta-feira, 14, à noite, uma assembleia para avaliar a situação e tentar reverter o projeto do deputado paranaense Sérgio Souza. No chamado para o encontro, os alunos destacam que a alteração não está relacionada apenas à denominação da universidade. "Nos encontramos agora em uma situação preocupante, a dissolução do projeto UNILA", dizem os alunos

Retrocesso político coloca em risco a Unila, voltada ao intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina. É possível resistir

Uma petição pública em defesa da Universidade de Integração Latino-americana (Unila), mais conhecida como Universidade do Mercosul, foi dirigida ao Congresso contra a emenda do deputado Sergio Souza (PMDB-PR), que a transforma na Universidade Federal do Oeste do Paraná. A medida acabaria com o projeto acadêmico e político da Unila, de integração com nossos vizinhos, já que prevê paridade de professores e alunos com Paraguai, Bolívia, Argentina e outros países da AL.

“Nosso movimento tem o objetivo de defender a manutenção da Lei de Criação da Unila, sua identidade original e sua missão, que é formar sujeitos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina”, afirma a petição, lembrando que a Constituição brasileira estabelece que o país “buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações”.

“A missão da Unila é a de contribuir para o avanço da integração da região, com uma oferta ampla de cursos de graduação e pós-graduação em todos os campos do conhecimento abertos a professores, pesquisadores e estudantes de todos os países da América Latina”, afirma a instituição em seu site. “Como instituição federal pública brasileira pretende, dentro de sua voca­ção transnacional, contribuir para o aprofundamento do processo de integração regional, por meio do conhecimento compartilhado, promovendo pesquisas avançadas em rede e a formação de recursos humanos de alto nível, a partir de seu Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA), com cátedras regionais nas diversas áreas do saber artístico, humanístico, científico e tecnológico.”

A América Latina engloba 21 países: Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.


CODEFOZ Conselho de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu
NOTA PÚBLICA EM DEFESA DA UNILA

 O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu - CODEFOZ, ao tomar conhecimento da Emenda Aditiva, de autoria do deputado federal Sérgio Souza (PMDB/PR), à Medida Provisória nº 785/2017, que tem como propósito converter a UNILA em Universidade Federal do Oeste do Paraná (UFOPR), vem a público manifestar sua posição em defesa da UNILA.

A UNILA vem contribuindo sobremaneira com o desenvolvimento econômico e social de Foz do Iguaçu e da região, além de sua contribuição na promoção da cooperação entre os povos, através da educação. Um projeto de tamanha envergadura e importância não pode ser objeto de uma alteração unilateral, sem diálogo com a sociedade, em total desrespeito à comunidade iguaçuense, aos técnicos, docentes e acadêmicos da UNILA.

O CODEFOZ se posiciona contra esta tentativa de alteração na Lei de criação da UNILA, defende a manutenção de sua autonomia e reivindica veementemente das autoridades competentes a instalação de diálogo prévio a qualquer mudança estrutural que venha a ser proposta.

O CODEFOZ também se coloca à disposição para convocar as entidades do poder público e da sociedade civil organizada da cidade e da região para ampliar o debate sobre os rumos da UNILA, e assim contribuir para uma maior e melhor integração da Universidade da Integração Latino-Americana com a comunidade iguaçuense.

Foz do Iguaçu, 17 de Julho de 2017

Roni Carlos Temp
Presidente CODEFOZ


CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS CULTURAIS
NOTA PÚBLICA EM DEFESA DA UNILA

A mesa diretora do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Foz do Iguaçu (CMPC) manifesta-se contrária à emenda aditiva proposta pelo deputado Sérgio Souza (PMDB/PR), que impõe a extinção da Universidade da Integração Latino-Americana (UNILA). Este órgão expressa solidariedade à comunidade acadêmica e apoio ao projeto e aos compromissos fundadores da instituição de ensino superior sediada em Foz do Iguaçu.

Universidade em processo de consolidação, com apenas sete anos de constituição, a UNILA representa um projeto singular. Sua particularidade consiste em promover formação universitária pública e gratuita, integração cultural e desenvolvimento socioeconômico voltados para os povos e nações da América Latina, principalmente, no âmbito da comunidade de países que integram o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL). 

A UNILA fortalece o desenvolvimento cultural em Foz do Iguaçu e região por meio da oferta de graduação e pós graduação em áreas artístico-culturais. A comunidade acadêmica também atua em espaços de elaboração e deliberação de políticas públicas, em projetos de extensão e iniciativas espontâneas de estudantes, professores e técnicos que fomentam a integração permanente com a população de Foz do Iguaçu.

A composição da UNILA, reunindo professores, estudantes e agentes universitários brasileiros e de outros 16 países, contribui para tornar ainda mais diverso o ambiente cultural e étnico da região trinacional. São trocas e vivências que ressaltam as diferenças, valorizam a diversidade e o diálogo intercultural, fatores determinantes para a construção de uma sociedade verdadeiramente plural e democrática.

Foz do Iguaçu, 15 de julho de 2017.
Mesa Diretora do Conselho Municipal de Políticas Culturais



ACIFI - ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE FOZ DO IGUAÇU
NOTA PÚBLICA EM DEFESA DA UNILA


A Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu manifesta posição em defesa da Universidade Federal da Integração Latino Americana e contrária à emenda aditiva, de autoria do deputado federal Sérgio Souza (PMDB/PR), à Medida Provisória nº 785/2017, que tem como propósito converter a UNILA em Universidade Federal do Oeste do Paraná.

A ACIFI destaca que a UNILA, criada há apenas sete anos, tem contribuído de forma decisiva na formação universitária pública e gratuita, intercâmbio cultural, científico e educacional, bem como cooperação solidária da América Latina, especialmente no Mercado Comum do Sul (Mercosul).

A UNILA é responsável pela formação de capital intelectual, desenvolvimento tecnológico, atuação em projetos sociais e voltados para problemas da comunidade.  Já tema de capa da nossa revista, o curso de medicina, por exemplo, contribuirá para a qualificação e universalização dos serviços médicos prestados à população.

Do ponto de vista econômico, tem movimentado vários segmentos, sobretudo moradia, transporte e alimentação. São 3.600 acadêmicos, quase 1.000 funcionários, investimentos, projetos e ações que resultam num impacto de mais de R$ 200 milhões por ano em Foz do Iguaçu.

A ACIFI também acredita ser oportuno o momento para que a UNILA reforce seus laços com a sociedade trinacional com o intuito de inserir-se cada vez mais em nossa comunidade, trocar informações e promover um diálogo aberto e permanente, sempre em sintonia com os interesses da comunidade iguaçuense e da região trinacional (Argentina, Brasil e Paraguai).

Foz do Iguaçu, 17 de julho de 2017.

Leandro Teixeira Costa
Presidente

Postagens mais visitadas